O impacto das tecnologias

Antes: comprávamos álbuns em vinil, fita cassete e depois CD. Cada formato exigia um tocador específico.
Hoje: caminhamos definitivamente para a música sob demanda, recomendada por amigos, algoritmos ou experts, ouvida via streaming em interfaces (quaisquer) ligadas à Internet/Web. Em qualquer lugar, a qualquer hora.

Embora exista um descontentamento por parte dos especialistas quanto a qualidade do som, isto parece ser mais uma questão de modelo de distribuição que de deficiência da tecnologia disponível.
Poucos segmentos tiveram impacto tão devastador, pelas novas tecnologias, quanto a música. Cuja produção e distribuição passou das gravadoras para a produção independente e distribuição via empresas de tecnologia. Os artistas já não vendem mais suas músicas. São remunerados por shows e projetos de marketing de empresas. Ou via subvenção governamental.
E estamos só no começo.
Temos também as rádios digitais. Que embora não sejam revolucionárias (aparentemente no seu modelo de negócios), mas também contribuem na desconstrução do modelo de distribuição anterior.
Mas o impacto não é apenas na música, mas em tudo.

KPCB_musica_w21mercurion

 

Conheça e curta a página da W21Mercurion no Facebook, onde assuntos ou temas que fazem parte (direta ou indiretamente) das nossas atividades: tecnologia, Internet, design, arte, fotografia, mídias sociais, mobile, tendências e comportamentos são citados a partir de fontes da Internet para formar um corpo coerente. Diferentes tempos, diferentes temas, diferentes fontes, conversando sincronicamente, organizados de forma singular mas permitindo uma leitura plural. Quase uma revista é possivelmente o mesmo conceito.
O conteúdo não é um ponto de partida mas um ponto de chegada.


Postado em música, Tecnologia e com a tag , , , , em .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *