Para o comércio eletrônico brasileiro o céu (de brigadeiro) é o limite

Na Polêmica sobre as vendas totais de Natal de 2013, onde temos mudanças importantes de consumo e por consequência de medição, uma coisa ?? certa, o comércio eletrônico ganha espaço e cresce muito mais que os outros segmentos.
As mudanças e o problema da mensuração:
– uma participação muito maior das classes C e D no perfil de consumo. Onde eles compram e como isto está sendo medido.
Рa participa̤̣o crescente do com̩rcio eletr̫nico e a consolida̤̣o destes dados nos dados de consumo.

A certeza: o comércio eletrônico cresceu 41% sobre o mesmo período do ano passado, contra um crescimento geral do comércio de (se todos os dados foram computados corretamente) de 5% a 6%.
Existe uma migração indiscutível dos canais de comércio tradicionais para o comércio eletrônico, numa desproporção impensável.

Como será 2014?

http://idgnow.uol.com.br/internet/2013/12/26/e-commerce-fatura-r-4-3-bilhoes-no-natal-e-supera-expectativas/

comercio-eletronico-2_w21mercurion

 

Conheça e curta a página da W21Mercurion no Facebook, onde assuntos ou temas que fazem parte (direta ou indiretamente) das nossas atividades: tecnologia, Internet, design, arte, fotografia, mídias sociais, mobile, tendências e comportamentos são citados a partir de fontes da Internet para formar um corpo coerente. Diferentes tempos, diferentes temas, diferentes fontes, conversando sincronicamente, organizados de forma singular mas permitindo uma leitura plural. Quase uma revista é possivelmente o mesmo conceito.
O conteúdo não é um ponto de partida mas um ponto de chegada.


Postado em Comércio Eletrônico e com a tag em .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *