O fim do real

O Impressionismo já tinha substitu??do o Real pela impress??o.
A radicalidade destruidora – Dad??,
O esc??ndalo – Surrealismo,
A vontade ordenadora – Construtivismo
(Max Bill: forma+função+beleza=Gestalt),
estas 3 correntes entorno das quais tudo o mais (em arte) iria se organizar, apesar de opostas e irreconcili??veis, Têm em comum o fato de não postularem a arte como duplicata da realidade. Muito ao contrário, cada uma a seu modo, criaram um abismo intranspon??vel ao olho “realista”.
Ao se desenvolverem, se consolidarem, ao fazerem escola, liquidaram com o Real.
Matar a arte (tradicional) para salv??-la (a arte), o duplo contradit??rio do projeto moderno. Como na física: ora part??cula, ora onda. Depende de como se v??. Literalmente.

Retrospectiva Max Bill.

Retrospectiva Max Bill.

Conheça e curta a página da W21Mercurion no Facebook, onde assuntos ou temas que fazem parte (direta ou indiretamente) das nossas atividades: tecnologia, Internet, design, arte, fotografia, mídias sociais, mobile, tendências e comportamentos são citados a partir de fontes da Internet para formar um corpo coerente. Diferentes tempos, diferentes temas, diferentes fontes, conversando sincronicamente, organizados de forma singular mas permitindo uma leitura plural. Quase uma revista é possivelmente o mesmo conceito.
O conteúdo não é um ponto de partida mas um ponto de chegada.

 


Postado em Arte, Design gráfico e com a tag , em .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *