Estaria o website corporativo morrendo? Рou perdendo a efici̻ncia, como ferramenta de comunica̤̣o do marketing digital.

Megafone da comunicacao_w21mercurion

 

Nos EUA, que nos servem de referência para nos anteciparmos aos acontecimentos – porque é uma economia mais madura e moderna que a nossa; os sites corporativos vem perdendo visitantes, ano após ano. Particularmente nos ambientes de negócio entre empresas, o chamado B-to-B (Business to Business). Uma queda de 23%.
Existem alguns fatos, recentemente medidos:
1. 90% do tráfego de websites corporativos vêm de 10% do conteúdo;
2. 50% do tráfego vem de 0,5% do conteúdo;
3. 60% a 70% do conteúdo é considerado inútil pelos usuários.
Ou seja: não existem muitas raízõe pelas quais Clientes venham aos websites corporativos em busca de informações. Principalmente depois do advento das redes sociais e da percepção de que o marketing digital precisa ser 360o., multi-plataforma, multi-tela, 365 dias/ano.
Neste contexto, as informações relevantes vêm ao Cliente tornando a sua ida até o website corporativo, desnecessária. Logo, queda de volume de tráfego.
O website corporativo está perdendo eficiência como ferramenta de comunicação do marketing digital porque está sendo complementado por outras ferramentas de relacionamento e conteúdo.
Desta maneira, a métrica de crescimento do tráfego em websites corporativos pode não ser a melhor maneira de se medir a eficiência digital de uma empresa. Nem um alvo realista a se perseguir.

http://www.siriusdecisions.com/blog/summit-2013-highlights-inciting-a-b-to-b-content-revolution/

http://www.forbes.com/sites/christinecrandell/2011/01/28/why-your-old-corporate-website-should-die/

http://www.forbes.com/sites/mikalbelicove/2013/09/10/content-marketing-study-suggests-most-content-marketing-doesnt-work/

 
Conheça e curta a página da W21Mercurion no Facebook, onde assuntos ou temas que fazem parte (direta ou indiretamente) das nossas atividades: tecnologia, Internet, design, arte, fotografia, mídias sociais, mobile, tendências e comportamentos são citados a partir de fontes da Internet para formar um corpo coerente. Diferentes tempos, diferentes temas, diferentes fontes, conversando sincronicamente, organizados de forma singular mas permitindo uma leitura plural. Quase uma revista é possivelmente o mesmo conceito.
O conteúdo não é um ponto de partida mas um ponto de chegada

 

 


Postado em Marketing de conteúdo, mídias Sociais, Tecnologia, tendências e com a tag , , , em .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *