Sérgio Rodrigues: funcionalidade sem futilidade

Paraty - 1963

Paraty – 1963

O móvel como obra de arte: Sérgio Rodrigues.
Construtivismo. Criatividade. Brasilidade.
O melhor do design brasileiro. Do espírito brasileiro.

http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2014/09/designer-sergio-rodrigues-morre-no-rio-aos-87-anos.html

 


Postado em Construtivismo, Design e com a tag em .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *