Notícias do mês de maio (3)

2015 – 100 anos de Cortázar
Ultimo Round – 1969

A_imaginacao_toma_poder (2)

Mas não vamos nos inspirar no ódio (como fez Homero
sem falar de Céline e Jean Genet).
Sejamos fríos e lúcidos: este, afinal, é um poema que lerão não poucas pessoas
a) para enriquecimento interior,
b) prazer estético.

Quanto a b), distintos reitores de biblioteca, temo que vai ocorrer com eles o mesmo que com minha tia quando a pobre inocente escutava Stockhausen com os veneráveis ouvidos plenos de Schubert e Puccini, logo KATASTROF. No que diz respeito a a) – dar três em seguida é feio, isso não se faz, disse um senhor de b) -, ninguém enriquece lendo se não for capaz de chupar um pêssego aproveitando que tem uma mão livre para leva-lo à boca, se não faz amor entre duas páginas, se não olha pela janela para saber que cinqüenta crianças foram queimadas no último mês na área de Saigon, e que na Biafra nigerianos ajudados pelo muy noble Reino Unido degolaram todos os feridos de um hospital: ter-se-á que repetir o professor Zeta Papalino que a literatura não é um terreno privilegiado no sentido escapista que tanto adorna como convém? Biafra e o erotismo, a chuva de napalm e os Jogos Venezianos de Lutoslavski:poesia ainda é a melhor possibilidade humana para operar um encontro que ninguém descreveu melhor do que Lautrémont e que pode fazer do homem o laboratório central de onde algum dia sairá o definitivamente humano, a menos que antes não nos tenhamos ido todos para a casa do caralho (ou para a puta que o pariu).

Viva_o_surrealismo (2)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Conheça e curta a página da Conheça e curta a página da W21Mercurion no Facebook, onde assuntos ou temas que fazem parte (direta ou indiretamente) das nossas atividades: tecnologia, Internet, design, arte, fotografia, mídias sociais, mobile, tendências e comportamentos são citados a partir de fontes da Internet para formar um corpo coerente. Diferentes tempos, diferentes temas, diferentes fontes, conversando sincronicamente, organizados de forma singular mas permitindo uma leitura plural. Quase uma revista e possivelmente o mesmo conceito.
O conteúdo não é um ponto de partida mas um ponto de chegada.


Postado em Arte, Literatura e com a tag , em .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *