Arquivo mensais:novembro 2015

“A arte é a árvore da vida”

Na mitologia de Willian Blake (28 de novembro1757 – 1827), romântico e libertário, uma mãe mitológica introduz seu filho nas artes da liberdade (Ensinando as almas a voar).

Willian Blake

Willian Blake – 1796

Curadoria: Tate Gallery

http://www.tate.org.uk/art/artworks/blake-plate-2-of-urizen-teach-these-souls-to-fly-n03696

Conheça e curta a página da W21Mercurion no Facebook, onde assuntos ou temas que fazem parte (direta ou indiretamente) das nossas atividades: tecnologia, Internet, design, arte, fotografia, mídias sociais, mobile, tendências e comportamentos são citados a partir de fontes da Internet para formar um corpo coerente. Diferentes tempos, diferentes temas, diferentes fontes, conversando sincronicamente, organizados de forma singular mas permitindo uma leitura plural. Quase uma revista e possivelmente o mesmo conceito.
O conteúdo não é um ponto de partida mas um ponto de chegada.

 

 


Postado em Arte, Pintura e com a tag , em .

Concreta foto do concreto

 

German Lorca  - 1951

German Lorca – 1951

O que fazem estes meninos no meio desta composição construtivista-geométrica?
Isto a fotografia não pode responder. Ela é apenas uma imobilidade no tempo.

Conheça e curta a página da W21Mercurion no Facebook, onde assuntos ou temas que fazem parte (direta ou indiretamente) das nossas atividades: tecnologia, Internet, design, arte, fotografia, mídias sociais, mobile, tendências e comportamentos são citados a partir de fontes da Internet para formar um corpo coerente. Diferentes tempos, diferentes temas, diferentes fontes, conversando sincronicamente, organizados de forma singular mas permitindo uma leitura plural. Quase uma revista e possivelmente o mesmo conceito.
O conteúdo não é um ponto de partida mas um ponto de chegada.


Postado em Arte, Fotografia e com a tag , em .

Alexei Romanov, o menino que mudou o mundo

alexei romanovSão Petersburgo, Rússia, ano de 1904, – a czarina Alexandra dá à luz um menino saudável, nascido sem hemofilia. Uma questão de hereditariedade e probabilidade. Como consequência, a Família Real russa não se fecha em torno da preservação do herdeiro real e mantem seu foco num relacionamento mais próximo com o povo, e assim, muito mais disposta e aberta às reformas. A Família Real russa não procura um curandeiro para ajudar seu filho hemofílico e um monge chamado Rasputin não tem acesso à corte.

Sem Rasputin o nível de ódio e repugnância do povo russo para com a Família Real jamais chegaria ao ponto que permitiu o sucesso da Revolução de 1917. A Rússia terminaria com sucesso a guerra com a Alemanha (os EUA não entrariam na guerra devido à sua relutância em lutar ao lado de uma monarquia absoluta), mas os termos da paz, entre os alemães e os Aliados, seriam mais razoáveis devido a estreita relação entre as classes dirigentes russas e alemãs.

os romanovA Família Real russa, efetivamente, é forçada em direção a um programa de reformas e a Rússia move-se gradualmente para a idade moderna sob um incipiente governo democrático. Os bolcheviques não sobem ao poder na Rússia (nem na China) e a economia alemã não entra em colapso o que evita que um partido político extremista capture a imaginação do povo. Hitler nunca chega ao poder e se chegasse, suas ambições seriam rapidamente anuladas pelos países aliados que não têm mais um inimigo comum com que se preocupar (a Rússia bolchevique).

A 2ª. Guerra Mundial é simplesmente uma guerra (no Oceano Pacífico) entre o Japão e os EUA – aliados à Grã-Bretanha, e termina em grande parte da forma como efetivamente terminou. A Guerra Fria não acontece e os EUA não concluem as pesquisas sobre energia atômica até meados dos anos 50 (devido à ausência dos cientistas alemães). A Corrida Espacial também não acontece e nem os grandes saltos tecnológicos gerados a partir dela, que permitiram que isto esteja sendo escrito e lido, agora.

Da mesma forma, a Guerra do Vietnã nunca aconteceria e os EUA continuariam a ser a única superpotência do mundo (China e Rússia correndo por fora?) até o final do século 21. Não teríamos o movimento hippie, a arte POP e nem o rock embalando toda uma geração.

Se quisermos considerar como grandes acontecimentos mundiais podem depender de um único evento, é isso … um bebê (Alexei) nasce com hemofilia de pais reais, amorosos e protetores …. cujo amor e preocupação jogam o mundo em um século de catástrofes.

Claro que Alexei não viu nada disso – foi executado pelos bolcheviques com 14 anos no porão de uma casa na Sibéria ….

Casa em Ekaterinburg onde os Romanov foram fuzilados pelos revolucionários bolcheviques. (foto de época)

Casa em Ekaterinburg onde os Romanov foram fuzilados pelos revolucionários bolcheviques. (foto de época)

O mundo não tem um desenho divino, mas é a consequência de uma sequência de acasos. E, num lance de dados, jamais se abolirá o acaso.

 

A partir de uma resposta de Nick Hodgson no Quora Digest, a quem todos os créditos devem ser concedidos.

 

Conheça e curta a página da W21Mercurion no Facebook, onde assuntos ou temas que fazem parte (direta ou indiretamente) das nossas atividades: tecnologia, Internet, design, arte, fotografia, mídias sociais, mobile, tendências e comportamentos são citados a partir de fontes da Internet para formar um corpo coerente. Diferentes tempos, diferentes temas, diferentes fontes, conversando sincronicamente, organizados de forma singular mas permitindo uma leitura plural. Quase uma revista e possivelmente o mesmo conceito.
O conteúdo não é um ponto de partida mas um ponto de chegada.


Postado em Biography, Drama, Romance, Cultura em .

Em que pese a pose

Floyd and Lucille Burroughs no pórtico, Hale County, Alabama
Walker Evans – 1936.

Esta família se tornou um ícone da fotografia americana no período da Depressão. Mostrando a pobreza que assolou os pequenos agricultores pela queda dos preços dos produtos agrícolas consequência do baixo consumo.
Ícone fotográfico muito devido à beleza e dignidade dos personagens, num cenário de pobreza e desesperança, captados por uma fotografia “verdade”. Mas são eles uma família de agricultores de verdade, ou atores/modelos contratados para representar agricultores?
A fotografia captou um momento de verdade, ou o fotógrafo (Walker Evans) dirigiu as pessoas para obter um resultado determinado, desejado por ele, e resultado de uma encomenda?
Isto a fotografia não pode responder. Ela se limita à imobilidade congelada no tempo.

 

Walker Evans - 1936

Walker Evans – 1936

Conheça e curta a página da W21Mercurion no Facebook, onde assuntos ou temas que fazem parte (direta ou indiretamente) das nossas atividades: tecnologia, Internet, design, arte, fotografia, mídias sociais, mobile, tendências e comportamentos são citados a partir de fontes da Internet para formar um corpo coerente. Diferentes tempos, diferentes temas, diferentes fontes, conversando sincronicamente, organizados de forma singular mas permitindo uma leitura plural. Quase uma revista e possivelmente o mesmo conceito.
O conteúdo não é um ponto de partida mas um ponto de chegada.

 


Postado em Arte, Fotografia e com a tag , em .

O que é arte?

arte

 

A partir de uma comunica̤̣o do MoMA РNY.

Conheça e curta a página da W21Mercurion no Facebook, onde assuntos ou temas que fazem parte (direta ou indiretamente) das nossas atividades: tecnologia, Internet, design, arte, fotografia, mídias sociais, mobile, tendências e comportamentos são citados a partir de fontes da Internet para formar um corpo coerente. Diferentes tempos, diferentes temas, diferentes fontes, conversando sincronicamente, organizados de forma singular mas permitindo uma leitura plural. Quase uma revista e possivelmente o mesmo conceito.
O conteúdo não é um ponto de partida mas um ponto de chegada.


Postado em Arte e com a tag em .

Paris, 17 de novembro de 2015

O tempo está mais do que sombrio esta noite: chuvisco, vento.

Na regịo Rep̼blica РOberkampf, o ambiente ṇo tem nada a ver com o resto de Paris.
Primeiro ponto de encontro: Praça da República, onde muitas pessoas vieram para se reunir em torno da estátua no sopé da qual foram depositadas velas, cartazes e flores. Tentam entender.

img_02

 

 

 

 

 

 

 

 

 

img_03

 

Insólito: muitas, muitas equipes de TV (todos os países) estão presentes em tendas-abrigos.

 

 

 

img04

 

Na esquina da rue Bichat, de frente para o Hospital Saint-Louis, a mesma cena que na Praça de la  République, no le Petit Camboja e no le Carillon.

 

 

img05

Na região do Bataclan, os carros da polícia ainda estão presente (presumivelmente para colher pistas forenses).

img08Perto dali, no Boulevard Richard Lenoir, sempre a mesma cena: pessoas que se recolhem e tentam entender, depositam ou flores, ou velas ou pequenas mensagens, algumas pitorescas.

img06

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Hoje à noite, era dia se manifestar, estar presente nos terraços dos cafés.

img089

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Boa notícia, a maioria deles estavam completamente lotados.

Por: Michel Chantelard (avec permission)

 

Conheça e curta a página da W21Mercurion no Facebook, onde assuntos ou temas que fazem parte (direta ou indiretamente) das nossas atividades: tecnologia, Internet, design, arte, fotografia, mídias sociais, mobile, tendências e comportamentos são citados a partir de fontes da Internet para formar um corpo coerente. Diferentes tempos, diferentes temas, diferentes fontes, conversando sincronicamente, organizados de forma singular mas permitindo uma leitura plural. Quase uma revista é possivelmente o mesmo conceito.
O conteúdo não é um ponto de partida mas um ponto de chegada.


Postado em Comportamento e com a tag em .

O mar de lama

A metáfora cruzada d’Os Gêmeos.

O desastre

O desastre

Conheça e curta a página da W21Mercurion no Facebook, onde assuntos ou temas que fazem parte (direta ou indiretamente) das nossas atividades: tecnologia, Internet, design, arte, fotografia, mídias sociais, mobile, tendências e comportamentos são citados a partir de fontes da Internet para formar um corpo coerente. Diferentes tempos, diferentes temas, diferentes fontes, conversando sincronicamente, organizados de forma singular mas permitindo uma leitura plural. Quase uma revista é possivelmente o mesmo conceito.
O conteúdo não é um ponto de partida mas um ponto de chegada.

 

 

 

 

 


Postado em Arte, Street art / intervenções urbanas e com a tag em .

Mulher nua com colar

“Mulher nua com Colar” de Pablo Picasso – 1968

Ao longo de sua vida, Picasso retrabalhou o tema do nu feminino. Durante seus oitenta anos, ele revisou o ideal tradicional de beleza com violência particular, submetendo o corpo a repetidos “ataques” pela pintura. Aqui, o feminino reclinado é apresentado como um arranjo cru, com sexualizado ordenamento dos orifícios, seios  e grossos membros. ‘Está tudo lá “, Picasso disse:’ Eu tento fazer um nu como ele é.” O rosto é da segunda esposa, Jacqueline Roque. (Tate Gallery)

 

Nú com colar - 1968

Nu com colar – 1968

 

Conheça e curta a página da W21Mercurion no Facebook, onde assuntos ou temas que fazem parte (direta ou indiretamente) das nossas atividades: tecnologia, Internet, design, arte, fotografia, mídias sociais, mobile, tendências e comportamentos são citados a partir de fontes da Internet para formar um corpo coerente. Diferentes tempos, diferentes temas, diferentes fontes, conversando sincronicamente, organizados de forma singular mas permitindo uma leitura plural. Quase uma revista é possivelmente o mesmo conceito.
O conteúdo não é um ponto de partida mas um ponto de chegada.

 

 

 

 


Postado em Arte, Pintura e com a tag , em .

Curtíssima metragem – Cortázar para ler e ver os “filminhos” no celular

2015 – 100 anos de Cortázar
Ultimo Round – 1969

cortissimo metraje

Curtíssima metragem

Motorista de férias cruza as montanhas do centro da França, entediado fora da cidade e da vida noturna. A moça faz o gesto costumeiro pedindo carona, timidamente perguntou se em direção de Beaune ou Tournus. Na estrada umas palavras, bonito perfil rosto moreno raramente pleno rosto, laconicamente às perguntas triviais, olhando para as coxas nuas contra assento vermelho. No final de uma curva o carro sai para fora da estrada e se perde no mais espesso. De soslaio observa como cruza as mãos sobre a minissaia enquanto o terror gradualmente. Sob as árvores uma profunda gruta vegetal onde se poderá, salta para fora do carro, a outra porta e brutalmente pelos ombros. A moça olha como se não, se deixa sair para fora do carro, sabendo que na solidão da floresta. O braço em volta da cintura para arrastá-la através das árvores, arma de bolso e fronte. Depois a carteira, verifica bem cheia, de brinde rouba o carro que abandona a poucos quilômetros de distância sem deixar a menor impressão digital porque nessa profissão não pode se descuidar.

 

Conheça e curta a página da W21Mercurion no Facebook, onde assuntos ou temas que fazem parte (direta ou indiretamente) das nossas atividades: tecnologia, Internet, design, arte, fotografia, mídias sociais, mobile, tendências e comportamentos são citados a partir de fontes da Internet para formar um corpo coerente. Diferentes tempos, diferentes temas, diferentes fontes, conversando sincronicamente, organizados de forma singular mas permitindo uma leitura plural. Quase uma revista é possivelmente o mesmo conceito.
O conteúdo não é um ponto de partida mas um ponto de chegada.


Postado em Arte, Cinema, Literatura e com a tag , , em .

A mediocridade

As magníficas tirinhas de Breno Ferreira e seu “cabuloso suco gástrico”.

breno_ferreira

Conheça e curta a página da W21Mercurion no Facebook, onde assuntos ou temas que fazem parte (direta ou indiretamente) das nossas atividades: tecnologia, Internet, design, arte, fotografia, mídias sociais, mobile, tendências e comportamentos são citados a partir de fontes da Internet para formar um corpo coerente. Diferentes tempos, diferentes temas, diferentes fontes, conversando sincronicamente, organizados de forma singular mas permitindo uma leitura plural. Quase uma revista é possivelmente o mesmo conceito.
O conteúdo não é um ponto de partida mas um ponto de chegada

 


Postado em Design gráfico, Quadrinhos e com a tag , em .