Arquivos da categoria: tendências

O showroom é show, mas não é venda.

A medida em que o comércio eletrônico se populariza e se torna parte do quotidiano, consumidores cada vez mais experimentam produtos em loja física e compram em loja virtual.
Preço e conveniência são os fatores principais para este comportamento.
Como existe no mundo digital a tendência de que um leva tudo, lojas físicas dos mais variados tipos, marcas e localizações tendem a, indiretamente, trabalhar para o principal (o dominante) vendedor online.
O desafio é ter uma estratégia multicanal eficiente, consistente, para uma marca inspiradora. Ser real e virtual, tangível e intangível com competência.
Coisa nada fácil.

Real e virtual_w21mercurion

 

Conheça e curta a página da W21Mercurion no Facebook, onde assuntos ou temas que fazem parte (direta ou indiretamente) das nossas atividades: tecnologia, Internet, design, arte, fotografia, mídias sociais, mobile, tendências e comportamentos são citados a partir de fontes da Internet para formar um corpo coerente. Diferentes tempos, diferentes temas, diferentes fontes, conversando sincronicamente, organizados de forma singular mas permitindo uma leitura plural. Quase uma revista é possivelmente o mesmo conceito.
O conteúdo não é um ponto de partida mas um ponto de chegada.


Postado em Comércio Eletrônico, Integração, Interatividade, tendências e com a tag , , , em .

“Nunca se leu tanto jornal, hoje as pessoas leem jornal o dia todo.”

Mesmo que a divulgação de notícias e informações migrem para as redes sociais, como está efetivamente acontecendo, por meio de curadoria, agregação dos conteúdos, ou editorias, resta a saber quem vai pagar pela geração das informações originais, e como. Aquelas que serão divulgadas – posteriormente, pelos mecanismos sociais. Mais ou menos como estamos fazendo aqui, neste blog, meio revista que se propaga via Facebook e Twitter.
Veja a notícia, do jornal, abaixo:
http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,meio-digital-amplia-audiencia-dos-jornais,1775863
Hoje, Google, Yahoo, Facebook e Microsoft (as grandes paltaformas que controlam a Internet/Web) ficam com o grosso das receitas publicitárias. Pouco vai para as empresas de jornalismo que ainda dependem das receitas off-line para gerar as notícias e seu contexto. E quando estas desaparecerem (as receitas)?

imprensa no lixo

Conheça e curta a página da W21Mercurion no Facebook, onde assuntos ou temas que fazem parte (direta ou indiretamente) das nossas atividades: tecnologia, Internet, design, arte, fotografia, mídias sociais, mobile, tendências e comportamentos são citados a partir de fontes da Internet para formar um corpo coerente. Diferentes tempos, diferentes temas, diferentes fontes, conversando sincronicamente, organizados de forma singular mas permitindo uma leitura plural. Quase uma revista é possivelmente o mesmo conceito.
O conteúdo não é um ponto de partida mas um ponto de chegada.

 


Postado em Comportamento, Jornalismo, mídias Sociais, Redes Sociais, Tecnologia, tendências e com a tag , , , , , em .

Me ame.

Em 05 de outubro de 1962 começava uma história que iria além do rock ou do POP.
Uma sintonia meio única entre a arte de consumo e as aspirações de um público jovem, já contaminado pelo germe da rebeldia, e sedento de uma identidade nova, diferente daquela dos que tinham mergulhado o mundo em 2 grandes guerras mundiais.
Além do que, esta geração tinha dinheiro para bancar esta nova identidade. Os rapazes tinham o talento. A indústria do entretenimento, fez o resto.

Beatles_love me do

 

Conheça e curta a página da W21Mercurion no Facebook, onde assuntos ou temas que fazem parte (direta ou indiretamente) das nossas atividades: tecnologia, Internet, design, arte, fotografia, mídias sociais, mobile, tendências e comportamentos são citados a partir de fontes da Internet para formar um corpo coerente. Diferentes tempos, diferentes temas, diferentes fontes, conversando sincronicamente, organizados de forma singular mas permitindo uma leitura plural. Quase uma revista é possivelmente o mesmo conceito.
O conteúdo não é um ponto de partida mas um ponto de chegada.


Postado em Comportamento, Cultura, música, tendências e com a tag , , em .

Visite e “curta” o blog da W21Mercurion

Assuntos ou temas que fazem parte (direta ou indiretamente) das nossas atividades: tecnologia, Internet, design, mídias sociais, mobile, tendências e comportamentos são citados a partir de fontes da Internet para formar um corpo coerente. Diferentes tempos, diferentes temas, diferentes fontes, conversando sincronicamente, organizados de forma singular mas permitindo uma leitura plural. Quase uma revista é possivelmente o mesmo conceito.
O conteúdo não é um ponto de partida mas um ponto de chegada.

toda censura e burra_w21mercurion

Viste e “curta” o blog da W21Mercurion

Assuntos ou temas que fazem parte (direta ou indiretamente) das nossas atividades: tecnologia, Internet, design, mídias sociais, mobile, tendências e comportamentos são citados a partir de fontes da Internet para formar um corpo coerente. Diferentes tempos, diferentes temas, diferentes fontes, conversando sincronicamente, organizados de forma singular mas permitindo uma leitura plural. Quase uma revista é possivelmente o mesmo conceito.
O conteúdo não é um ponto de partida mas um ponto de chegada.

o piro cego e o que nao quer ver

O leitor brasileiro está se tornando um e-leitor

Confirmando tendência mundial (dos países mais desenvolvidos), o consumo de livros cresce muito mais do lado dos livros digitais que do lado dos livros impressos.
Tendência inexorável.
Resta no entanto a questão do que se está lendo. Mas isto é uma outra história que não tem nada a ver com tecnologia mas com cultura. Dos leitores e do país.

http://blogs.estadao.com.br/babel/faturamento-com-venda-de-e-book-cresce-225-no-brasil-mas-mercado-editorial-continua-em-crise/

ebooks_w21mercurion


Postado em Cultura, Tecnologia, tendências e com a tag , , em .

O que está acontecendo com o website coporativo

Há um declínio maciço e irreversível em visitas a sites corporativos.
Os dados da Webtrends afirmando que quase 70% dos sites corporativos listados pela Fortune 100 têm experimentado declínios de tráfego é certamente um fato, mas não pinta a imagem completa. Estes números só servem para realizar a forma como as pessoas estáo usando outros canais online, principalmente o Twitter e o Facebook, para obter certos tipos de informações ou ter Interações com empresas que costumavam acontecer apenas em sites corporativos.
O fato é que o cliente está “escondido” atrás de um conjunto de mídias bastante diversificado, buscando informações específicas, que são comunicadas melhor conforme as diferentes características operacionais préprias de cada um destes canais.
Vive la difference!

midias sociais_w21mercurion
Conheça e curta a página da W21Mercurion no Facebook, onde assuntos ou temas que fazem parte (direta ou indiretamente) das nossas atividades: tecnologia, Internet, design, arte, fotografia, mídias sociais, mobile, tendências e comportamentos são citados a partir de fontes da Internet para formar um corpo coerente. Diferentes tempos, diferentes temas, diferentes fontes, conversando sincronicamente, organizados de forma singular mas permitindo uma leitura plural. Quase uma revista é possivelmente o mesmo conceito.
O conteúdo não é um ponto de partida mas um ponto de chegada


Postado em Comportamento, Internet/Web, Marketing de conteúdo, tendências e com a tag , , , em .

Estaria o website corporativo morrendo? Рou perdendo a efici̻ncia, como ferramenta de comunica̤̣o do marketing digital.

Megafone da comunicacao_w21mercurion

 

Nos EUA, que nos servem de referência para nos anteciparmos aos acontecimentos – porque é uma economia mais madura e moderna que a nossa; os sites corporativos vem perdendo visitantes, ano após ano. Particularmente nos ambientes de negócio entre empresas, o chamado B-to-B (Business to Business). Uma queda de 23%.
Existem alguns fatos, recentemente medidos:
1. 90% do tráfego de websites corporativos vêm de 10% do conteúdo;
2. 50% do tráfego vem de 0,5% do conteúdo;
3. 60% a 70% do conteúdo é considerado inútil pelos usuários.
Ou seja: não existem muitas raízõe pelas quais Clientes venham aos websites corporativos em busca de informações. Principalmente depois do advento das redes sociais e da percepção de que o marketing digital precisa ser 360o., multi-plataforma, multi-tela, 365 dias/ano.
Neste contexto, as informações relevantes vêm ao Cliente tornando a sua ida até o website corporativo, desnecessária. Logo, queda de volume de tráfego.
O website corporativo está perdendo eficiência como ferramenta de comunicação do marketing digital porque está sendo complementado por outras ferramentas de relacionamento e conteúdo.
Desta maneira, a métrica de crescimento do tráfego em websites corporativos pode não ser a melhor maneira de se medir a eficiência digital de uma empresa. Nem um alvo realista a se perseguir.

http://www.siriusdecisions.com/blog/summit-2013-highlights-inciting-a-b-to-b-content-revolution/

http://www.forbes.com/sites/christinecrandell/2011/01/28/why-your-old-corporate-website-should-die/

http://www.forbes.com/sites/mikalbelicove/2013/09/10/content-marketing-study-suggests-most-content-marketing-doesnt-work/

 
Conheça e curta a página da W21Mercurion no Facebook, onde assuntos ou temas que fazem parte (direta ou indiretamente) das nossas atividades: tecnologia, Internet, design, arte, fotografia, mídias sociais, mobile, tendências e comportamentos são citados a partir de fontes da Internet para formar um corpo coerente. Diferentes tempos, diferentes temas, diferentes fontes, conversando sincronicamente, organizados de forma singular mas permitindo uma leitura plural. Quase uma revista é possivelmente o mesmo conceito.
O conteúdo não é um ponto de partida mas um ponto de chegada

 

 


Postado em Marketing de conteúdo, mídias Sociais, Tecnologia, tendências e com a tag , , , em .

O futuro da TV

Em 2014/2015 a audiência da TV paga/por assinatura dever?? superar a audiência da TV Globo (aqui no Brasil).
Como era de se esperar, e como aconteceu em países mais ricos, a TV não está morrendo, ela está se transformando: de comunicação de massa, para comunicação segmentada. Mas que mantém a mesma l??gica econ??mica onde a publicidade ?? a grande fonte de receita. consequência da constata????o de que os marqueteiros estáo muito mais propensos a pagar por consumidores, do que estes por conteúdo.
Agora, conteúdo de nicho, para nichos de consumidores.
Este movimento ?? no entanto apenas a ponta do iceberg. A grande modifica????o em direção ?? segmentação está se dando via uma multitude de canais, plataformas, modelos econômicos, para as diferentes interfaces: o aparelho de TV, o computador, o tablete, o smartphone.
O que tende a deixar a TV a cada dia com mais cara de Internet/Web.

Conheça e curta a página da W21Mercurion no Facebook, onde assuntos ou temas que fazem parte (direta ou indiretamente) das nossas atividades: tecnologia, Internet, design, arte, fotografia, mídias sociais, mobile, tendências e comportamentos são citados a partir de fontes da Internet para formar um corpo coerente. Diferentes tempos, diferentes temas, diferentes fontes, conversando sincronicamente, organizados de forma singular mas permitindo uma leitura plural. Quase uma revista é possivelmente o mesmo conceito.
O conteúdo não é um ponto de partida mas um ponto de chegada.

http://www.innovationexcellence.com/blog/2013/06/17/the-future-of-tv/

smart-tvs_w21mercurion

 

Conheça e curta a página da W21Mercurion no Facebook, onde assuntos ou temas que fazem parte (direta ou indiretamente) das nossas atividades: tecnologia, Internet, design, arte, fotografia, mídias sociais, mobile, tendências e comportamentos são citados a partir de fontes da Internet para formar um corpo coerente. Diferentes tempos, diferentes temas, diferentes fontes, conversando sincronicamente, organizados de forma singular mas permitindo uma leitura plural. Quase uma revista é possivelmente o mesmo conceito.
O conteúdo não é um ponto de partida mas um ponto de chegada.

 


Postado em Tecnologia, tendências e com a tag em .

Uma agulha num palheiro

O volume de conteúdo disponível na Internet/Web ?? imenso.
?? um oceano de informações.
Os mecanismos de busca, como o Google ou Bing – apenas para citar os maiores, encontram as informações “mais disponíveis” ?? partir de palavras ou frases que colocamos nestas ferramentas.
Estas ferramentas são tão mais eficientes quanto forem eficazes em nos apresentar um conteúdo o mais préximo Possível daquilo que buscamos.
Para isto, elas precisam identificar, sites, artigos, péginas, disponíveis na Internet/Web, segundo uma ordem de importância. Os mais importantes devem aparecer primeiro. Segundo uma regra que define o que ?? mais importante.
Atualmente, o Google está dando importância a conteúdos de boa qualidade, que sejam mencionados em redes sociais, e que tenham sido uma “resposta” para um espectro sem??ntico mais amplo do que as palavras que contém.
Repeti????o de palavras e men̤̣o de outros sites, a cada dia, perdem for̤a na identifica̤̣o de conte̼dos relevantes Рpara uma dada condi̤̣o de busca.
Portanto o que realmente conta ?? a qualidade da informações.

 

Conheça e curta a página da W21Mercurion no Facebook, onde assuntos ou temas que fazem parte (direta ou indiretamente) das nossas atividades: tecnologia, Internet, design, arte, fotografia, mídias sociais, mobile, tendências e comportamentos são citados a partir de fontes da Internet para formar um corpo coerente. Diferentes tempos, diferentes temas, diferentes fontes, conversando sincronicamente, organizados de forma singular mas permitindo uma leitura plural. Quase uma revista é possivelmente o mesmo conceito.
O conteúdo não é um ponto de partida mas um ponto de chegada.

 

https://exploreb2b.com/articles/is-google-killing-off-page-seo

agulha no palheiro_w21mercurion

 

 


Postado em Internet/Web, Marketing de conteúdo, tendências e com a tag , em .