Arquivo da tag: música

Me ame.

Em 05 de outubro de 1962 começava uma história que iria além do rock ou do POP.
Uma sintonia meio única entre a arte de consumo e as aspirações de um público jovem, já contaminado pelo germe da rebeldia, e sedento de uma identidade nova, diferente daquela dos que tinham mergulhado o mundo em 2 grandes guerras mundiais.
Além do que, esta geração tinha dinheiro para bancar esta nova identidade. Os rapazes tinham o talento. A indústria do entretenimento, fez o resto.

Beatles_love me do

 

Conheça e curta a página da W21Mercurion no Facebook, onde assuntos ou temas que fazem parte (direta ou indiretamente) das nossas atividades: tecnologia, Internet, design, arte, fotografia, mídias sociais, mobile, tendências e comportamentos são citados a partir de fontes da Internet para formar um corpo coerente. Diferentes tempos, diferentes temas, diferentes fontes, conversando sincronicamente, organizados de forma singular mas permitindo uma leitura plural. Quase uma revista é possivelmente o mesmo conceito.
O conteúdo não é um ponto de partida mas um ponto de chegada.


Postado em Comportamento, Cultura, música, tendências e com a tag , , em .

100 anos de música na história

Das cavernas decoradas com com mãos – onde “eu” existo como linguagem e como consciência, ao presente internético/cibernético/nuclear, passaram-se mais ou menos 200 gerações. Uma história que está escrita na pedra. Nas pedras (acontecimentos=histórias) que deixamos ao longo deste caminho. Produto de uma programação que busca autonomamente sempre sobreviver e dar continuidade à espécie, e que transforma todo o excedente de energia, em sexo, reprodução: perpetuação da espécie. Sem nenhum outro propósito aparente a não ser este. Deslumbrados e perplexos com esta mecânica, contamos e recontamos (recorrentemente) esta história. Nas cidades, na música, na pintura, no teatro, nos livros, no cinema. A arte é o produto deste incômodo.
O artista como a antena social da espécie, conta e reconta  as pedras do caminho, para um determinado tempo e geografia. Revelando um lado, ou lados, ainda não percebidos.
E que pôde ser feito, de forma minimalista, com 2 violões e 2 banquinhos
Num Expresso 2222
Que sai (agora), direto
De um bom sucesso
Prá depois.

 

CAE  SÃO PAULO 20/08/2015   CADERNO DOIS CAETANO VELOSO E GILBERTO GIL Caetano Velos e Gilberto Gil durante apresentação da turnê " Dois Amigos, Um Século de Música" no Citibank Hall,.  FOTO JF DIORIO /ESTADÃO

Conheça e curta a página da W21Mercurion no Facebook, onde assuntos ou temas que fazem parte (direta ou indiretamente) das nossas atividades: tecnologia, Internet, design, arte, fotografia, mídias sociais, mobile, tendências e comportamentos são citados a partir de fontes da Internet para formar um corpo coerente. Diferentes tempos, diferentes temas, diferentes fontes, conversando sincronicamente, organizados de forma singular mas permitindo uma leitura plural. Quase uma revista e possivelmente o mesmo conceito. O conteúdo não é um ponto de partida mas um ponto de chegada.

 


Postado em Arte, Cultura, música e com a tag , em .

Quero ser novo de novo

Vidas secas_w21mercurion

 

 

 

 

 

 

 

Muitas das obras dos anos de revolução na linguagem (das artes) ficam datadas e não resistem ao tempo, como obras. Ficam apenas como obras importantes (seminais) na história (das artes). Mas o sabor dos anos de mudanças conceituais e de comportamento são inesquecíveis. Porque é quando a ficção é mais real que o real.

https://m.youtube.com/watch?v=B2xIerFRMzY

Conheça e curta a página da W21Mercurion no Facebook, onde assuntos ou temas que fazem parte (direta ou indiretamente) das nossas atividades: tecnologia, Internet, design, arte, fotografia, mídias sociais, mobile, tendências e comportamentos são citados a partir de fontes da Internet para formar um corpo coerente. Diferentes tempos, diferentes temas, diferentes fontes, conversando sincronicamente, organizados de forma singular mas permitindo uma leitura plural. Quase uma revista e possivelmente o mesmo conceito. O conteúdo não é um ponto de partida mas um ponto de chegada

 

 


Postado em Arte, Cinema, Cultura, música e com a tag , , , em .

Notícias do mês de maio (4)

2015 – 100 anos de Cortázar
Ultimo Round – 1969

Amemos_w21mercurion

Ouça, amor, ouve o barulho da rua,
……..
o ritmo, mais uma vez, é a única passagem:
Rodin, Uccello, Cohn-Bendit, Nanterre,

 

….a voz de Elena Burke

e Catherine Sauvage,

……
e Saint-John Perse e Vargas Llosa e Losey

entre Thelonius Monk

e José Antonio Méndez,

Mao_w21mercurion

 

o ritmo da noite na voz de Marcuse,
o barulho da rua, Levi-Strauss, Yevtushenko,
os nomes dos queridinhos mudam como os dias,
hoje é Jean-Luc Godard e amanhã Polanski,

 

proibido_proibir_w21mercurion

 

 

 

 

os estudantes correm ao assalto do tempo
sob o cassetete de botas
e nada pode contra teu ritmo de “trigales”


e nada pode contra o teu sorriso, oh meu amor!
que se aniquila nas bombas de gás lacrimogênio.

esquerda_prehistorica_w21mercurion

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Conheça e curta a página da W21Mercurion no Facebook, onde assuntos ou temas que fazem parte (direta ou indiretamente) das nossas atividades: tecnologia, Internet, design, arte, fotografia, mídias sociais, mobile, tendências e comportamentos são citados a partir de fontes da Internet para formar um corpo coerente. Diferentes tempos, diferentes temas, diferentes fontes, conversando sincronicamente, organizados de forma singular mas permitindo uma leitura plural. Quase uma revista e possivelmente o mesmo conceito. O conteúdo não é um ponto de partida mas um ponto de chegada.

 


Postado em Literatura, música e com a tag , em .

17 de março – aniversário de Elis Regina

Elis Regina e Pierre Barouh em Paris – 1968

Elis Regina e Pierre Barouh - Paris - 1968

Elis Regina e Pierre Barouh – Paris – 1968

Conheça e curta a página da W21Mercurion no Facebook, onde assuntos ou temas que fazem parte (direta ou indiretamente) das nossas atividades: tecnologia, Internet, design, arte, fotografia, mídias sociais, mobile, tendências e comportamentos são citados a partir de fontes da Internet para formar um corpo coerente. Diferentes tempos, diferentes temas, diferentes fontes, conversando sincronicamente, organizados de forma singular mas permitindo uma leitura plural. Quase uma revista é possivelmente o mesmo conceito.
O conteúdo não é um ponto de partida mas um ponto de chegada.

 


Postado em música e com a tag em .

Anos rebeldes

Nos interessa os anos 60, quando a comunicação é massivamente unidirecional (predomínio da TV aberta com poucos canais, 3 ou 4 revistas/jornais com tiragem enorme e cobertura nacional).
A mídia de massa por excelência.
De uma maneira mais ou menos única de se comportar, surge uma geração rebelde, que contesta o estabelecido. A forma e o conteúdo do estabelecido. Modificando definitivamente a maneira de se sentir e pereceber as coisas.
Os anos 60 (no ocidente capitalista) mudaram o mundo.
Tudo muito diferentes dos tempos atuais onde a informação é multidirecional. Onde eu compartilho, tu compartilhas, ….., eles compartilham.
Da mídia de massa para uma massa de mídias.
Que estética e comportamentos se produzirão a partir desta massa de mídias?

Janis Joplin - 1969

Janis Joplin – 1969

Conheça e curta a página da W21Mercurion no Facebook, onde assuntos ou temas que fazem parte (direta ou indiretamente) das nossas atividades: tecnologia, Internet, design, arte, fotografia, mídias sociais, mobile, tendências e comportamentos são citados a partir de fontes da Internet para formar um corpo coerente. Diferentes tempos, diferentes temas, diferentes fontes, conversando sincronicamente, organizados de forma singular mas permitindo uma leitura plural. Quase uma revista é possivelmente o mesmo conceito.
O conteúdo não é um ponto de partida mas um ponto de chegada.

 

 


Postado em Comportamento, Cultura, Internet/Web, música, Redes Sociais e com a tag , , , , em .

Saída à francesa

A França tem mostrado um conjunto de artistas que fazem efetivas intervenções urbanas (street art). Utilizam o “mobiliário” urbano como parte integrante e definidor do processo de criação.
São temas simples, como convém a um público passante, sem nenhum interesse específico. Porém cheio de humor e charme. Um pequeno detalhe para fazer o dia mais feliz. Uma forma de minimalismo?
Como são as intervenções da Sandrine Estrade Boulet. E como é o caso deste do oakoak. Ambos nossos velhos conhecidos.
Este descompromisso sofisticado, muito francês, também encontramos na música de ZAZ, que mantém um diálogo vivo com este tipo de intervenção urbana.

 

Street-Art-by-Oakoak-1

 

Conheça e curta a página da W21Mercurion no Facebook, onde assuntos ou temas que fazem parte (direta ou indiretamente) das nossas atividades: tecnologia, Internet, design, arte, fotografia, mídias sociais, mobile, tendências e comportamentos são citados a partir de fontes da Internet para formar um corpo coerente. Diferentes tempos, diferentes temas, diferentes fontes, conversando sincronicamente, organizados de forma singular mas permitindo uma leitura plural. Quase uma revista é possivelmente o mesmo conceito.
O conteúdo não é um ponto de partida mas um ponto de chegada.


Postado em Design gráfico, música, Street art / intervenções urbanas e com a tag , , , em .

Visite e “curta” o blog da W21Mercurion

Assuntos ou temas que fazem parte (direta ou indiretamente) das nossas atividades: tecnologia, Internet, design, mídias sociais, mobile, tendências e comportamentos são citados a partir de fontes da Internet para formar um corpo coerente. Diferentes tempos, diferentes temas, diferentes fontes, conversando sincronicamente, organizados de forma singular mas permitindo uma leitura plural. Quase uma revista é possivelmente o mesmo conceito.
O conteúdo não é um ponto de partida mas um ponto de chegada.

toda censura e burra_w21mercurion

Viste e “curta” o blog da W21Mercurion

Assuntos ou temas que fazem parte (direta ou indiretamente) das nossas atividades: tecnologia, Internet, design, mídias sociais, mobile, tendências e comportamentos são citados a partir de fontes da Internet para formar um corpo coerente. Diferentes tempos, diferentes temas, diferentes fontes, conversando sincronicamente, organizados de forma singular mas permitindo uma leitura plural. Quase uma revista é possivelmente o mesmo conceito.
O conteúdo não é um ponto de partida mas um ponto de chegada.

o piro cego e o que nao quer ver

“Moacir Santos / tu que não és um só, és tantos / como este meu Brasil de todos os santos.”

moacir santos_w21mercurion

http://radio.estadao.com.br/audios/audio.php?idGuidSelect=5FD526687DD640108AA1253A84EBF150

 


Postado em música e com a tag em .